RELACIONAIS

RELACIONAIS

Você pode navegar horizontalmente usando as setas do teclado

Últimas notícias

Roda de conversa com lideranças de comunidades quilombolas e povos de matrizes africanas no Museu Afro Brasil

 

 

 

Relato do encontro do Mais Bibliotecas Públicas

No dia 24 de janeiro aconteceu o encontro do Mais Bibliotecas Públicas, promovido pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas no Rio de Janeiro. Participaram 29 pessoas, representando a UNIRIO, UFF, Fundo Juntos pela Educação, Biblioteca Dom Pedro II, Sistemas Estaduais de Bibliotecas Públicas do Rio de Janeiro e de São Paulo, funcionários do SNBP/DLLLB/FBN e o Instituto de Políticas Relacionais.

Durante o evento, foi promovido uma apresentação dialogada que permitiu uma troca de informações, que alimentou e ampliou o olhar sobre as ações desenvolvidas, enriquecendo ideias e abrindo novos horizontes de possibilidades.

Mais informações em www.snbp.bn.br

1º ENCONTRO NACIONAL DA JUVENTUDE COMEÇA A SER FORMULADO

Com o objetivo de ampliar a participação dos jovens no debate sobre políticas públicas para o setor cultural, a III Conferência Nacional de Cultura (CNC) realizou no sábado (30), em Brasília, uma oficina para iniciar a formulação do primeiro Encontro Cultural da Juventude. Em 2001, Marisa Greeb desenvolveu essa mesma abordagem de articulação para elaborar um diagnóstico de gestão para a Prefeitura de São Paulo. O trabalho envolveu cerca de 10 mil paulistanos, com a realização de 153 oficinas simultâneas. A sociopsicodramista coordena esse tipo de mobilização desde o início da década de 1970.

09/08/2013 – LANÇADO ACERVO COM MAIS DE 900 MIL PÁGINAS DIGITALIZADAS DE PROCESSOS DA DITADURA MILITAR.

Ato de Lançamento do Brasil Nunca Mais Digital, o projeto garante acesso a todo material colhido no início dos anos 80 pela Arquidiocese de São Paulo e pelo Conselho Mundial de Igrejas, o qual revelou torturas por agentes públicos durante a ditadura. A digitalização e divulgação do acervo do BNM objetiva preservar esse patrimônio histórico nacional, ampliar o acesso ao material de pesquisa e revelar a história de concepção e desenvolvimento dessa iniciativa social. O trabalho foi iniciado em 14 de junho de 2011, quando o Ministério Público Federal repatriou do “Center for Research Libraries” (CRL), nos EUA, os microfilmes de segurança que continham cópia de todos os processos judiciais reproduzidos pelo BNM e o Procurador-Geral da República recebeu do Secretário Geral do Conselho Mundial de Igrejas os arquivos daquela entidade sobre o projeto. http://bnmdigital.mpf.mp.br

Eventos por todo o país reforçam luta pelo resgate da verdade histórica

Seminários, debates, filmes, lançamentos de livros e exposições celebram compromisso com a defesa dos direitos humanos e respeito à memória política brasileira na Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos

A Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos, convocada pelo Núcleo de Preservação de Memória Política no final de fevereiro, já conta com a adesão de 40 eventos.
Nesta segunda, 1 de abril, o Arquivo Público do Estado de São Paulo (APESP) promove o seminário “Arquivos da repressão e o acesso público na era digital”, que marcará o lançamento, na Internet, de cerca de 1 milhão de documentos do Deops/SP.
Também nesta data acontecem duas sessões do filme “1964 – Um golpe contra o Brasil”, produzido pelo Núcleo Memória e dirigido por Alipio Freire: às 14 horas, na Unidade Santos Amaro do Cursinho da Poli; e às 19h, no Museu da Imagem e do Som de Campinas, com debates após a exibição.
A Semana de Direitos Humanos terá também um evento internacional. Na quarta, 3 de abril, o Watson Institute for International Studies, da Brown University, dos Estados Unidos, realiza debate sobre duas obras literárias do escritor gaúcho Luis Fernando Verrismo que têm como tema central a ditadura civil-militar de 1964 e como este acontecimento histórico é abordado na ficção: A Mancha e O Condomínio. A discussão acontecerá no dia 3 de abril, quarta, das 18h às 19h, no auditório Joukowsky Forum, e terá como convidada Leila Lehnen, professora de literatura brasileira e hispano-americana da Universidade do Novo México.
Confira a lista completa de eventos da Semana Nacional de Direitos Humanos e notícias relacionadas no site da iniciativa, clicando aqui.
O êxito da Semana levou o Núcleo Memória a transformar esse site em ferramenta de divulgação permanente de ações que visem a valorização dos direitos humanos e o compromisso com o resgate da memória em nosso país.

Convite – 68ª Caravana da Anistia, na Usp, em São Paulo

Publicado por em 19 dezembro 2012 em Destaque, Notícias
Pontos de Leitura Ancestralidade Africana no Brasil

Pontos de Leitura Ancestralidade Africana no Brasil

Projeto piloto realizado em parceria entre a Fundação Biblioteca Nacional (FBN), Secretaria da Cidadania e Diversidade Cultural do MinC (SCDC/MinC) e Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (SEPPIR).
Tem por objetivo apoiar e estimular iniciativas culturais, já em andamento, voltadas para a promoção, preservação e divulgação da história e cultura africana e afro-brasileira.
O projeto prevê a instalação de 10 pontos de leitura em comunidades tradicionais de matriz africana, o registro da memória destas comunidades e a constituição de uma rede nacional de pontos de leitura sobre a temática africana no país.

 

Novo site facilita adesão à Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos

 

 

 

 

O Núcleo de Preservação da Memória Política lançou nesta terça, 26 de fevereiro, a página da Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos, que acontecerá de 1º a 6 de abril em todo o Brasil.
A Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos (SNMDH) é um espaço de articulação das entidades que lutam pela defesa dos Direitos Humanos e pelo direito à Memória. Organizações da sociedade civil, universidades, parlamentares e comissões dos legislativos, teatros e espaços culturais realizarão eventos próprios, de maneira descentralizada, em todo o país.
O site pode ser acessado no endereço http://semanadh.nucleomemoria.org.br, ou através do site do Núcleo de Preservação da Memória Política: www.nucleomemoria.org.br.
Além de notícias relativas à promoção das iniciativas planejadas, o site contém uma página específica para adesão à Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos, na qual os participantes deverão cadastrar o nome do Evento, o Local onde será realizado, Estado, Cidade, a Data de realização, um Resumo do evento e a Programação prevista, além do site da organização promotora, telefone e e-mail de contatos.
Uma vez cadastrado, o evento fará parte da base de dados do site da Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos e estará disponível para consulta na página Eventos – que permite consultar todas as iniciativas participantes utilizando-se filtros de Cidade, Estado e Data de realização.
Participe, organizando palestras, debates, exposições, exibição de filmes, peças de teatro, mostras fotográficas, lançamentos de livros ou qualquer outra forma de mobilização que permita debater a importância da memória política brasileira como requisito para resgatar a verdade histórica e afirmar os direitos humanos como valor fundamental da democracia.
Queremos tomar parte nessas iniciativas dando ampla divulgação à sua realização.
Participe desta luta conosco!
Núcleo de Preservação da Memória Política

Ministra da Cultura Marta Suplicy participa da abertura do RioContentMarket

Abertura do evento na noite desta terça-feira (19) contou também com a presença de Manoel Rangel, diretor-presidente da ANCINE
Na noite desta terça-feira (19), a ministra Marta Suplicy participou da abertura do RioContentMarket, evento que movimenta o setor Audiovisual no Brasil. 

Em sua fala, a ministra Marta Suplicy elogiou o evento, ressaltou o momento em que vive o Brasil e a importância do audiovisual para o país: “estou muito feliz em estar aqui hoje por tudo o que vem acontecendo. Esse é o momento certo. O Brasil está com o mercado interno crescente, e externamente, mais forte do que jamais estivemos. O que me encanta em eventos como este é que tenho a clara percepção de que um país é feito por várias qualidades, dentre elas o Soft Power, e nada melhor para criar a imagem de uma país do que o audiovisual. Se podemos acontecer no futebol, na praia e em todas as lindezas que temos, o audiovisual tem uma capacidade de inserção muito mais forte do que qualquer outro instrumento que a gente possa pensar.”

Além da ministra da Cultura, também participaram Paulo Bernardo – ministro das Comunicações, Marco Altberg – presidente da ABPITV (Associação Brasileira dos produtores independentes de TV, Rogério Belini da APEX, Leopoldo Nunes secretário da SAv (Secretaria de Audiovisual), Manoel Rangel – presidente da ANCINE, entre outros. O Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o Prefeito da cidade, Eduardo Paes, foram representados por Ricardo Luiz Rocha Cota – subsecretário de comunicação social do RJ e Sérgio Sá Leitão – secretário municipal de cultura e economia criativa do RJ, respectivamente.

RioContentMarket 

O evento, que chega em sua 3ª edição neste ano, tem adesão nacional e internacional e reúne pessoas ligadas ao setor audiovisual, promovendo debates, negócios, estimulando inovação e parcerias para o setor. Participam produtoras, canais, programadoras, operadoras do Brasil e de dezenas de outros países, além do governo brasileiro por meio do ministério da Cultura.

Para o setor Audiovisual brasileiro, o RioContentMarket é uma oportunidade de gerar contratos de filmes, de co-produções e de prospecção sobre as possibilidades de negócios com o Brasil. A participação do MinC se dá através da SAv (Secretaria do Audiovisual), que é uma das patrocinadoras tradicionais do evento. A SAv também participa do evento com o Espaço Lab, dedicado ao experimentalismo e à formação.
A ministra Marta encerrou sua participação falando sobre a disposição do MinC em contribuir com o crescimento do setor: “O ministério da Cultura estará junto em todos os fatos importantes para consolidar e ajudar a crescer o audiovisual no Brasil”
O RioContentMarket acontece até sexta-feira, 22. Confira a programação em: http://www.riocontentmarket.com.br/2013/programacao/grade-de-programacao
Hoje, a equipe do Instituto de Políticas Relacionais está presente em um curso realizado pela ONG Brasil sobre o sistema de convênios. Esta ferramenta é muito importante para a transparência das parcerias estabelecidas através das ONGs e Oscips.
Veja a Programação:  http://www.ongbrasil.com.br/index.php?canal=eventos&pgID=051112-083933-83e07660
Os jurados do Memória do Esporte Olímpico Brasileiro se reuniram, dia 16 de outubro, em São Paulo, para selecionar os projetos que irão para a próxima fase da seleção, o pitching (defesa oral). Foram escolhidos 24 projetos. A banca foi composta por José Trajano, Newton Cannito, Elisa Tomelli, Heber Moura e Lina Chamie. Para que a lista de 122 inscritos se resumisse aos 24 selecionados, foram avaliadas a qualidade, a relevância e a fidelidade com os critérios exigidos pelo edital. Nenhum membro do júri teve conhecimento prévio dos projetos e dos diretores/produtoras; a avaliação foi feita separadamente, para garantir o mérito da proposta. O pitching acontecerá no dia 06 de novembro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo, quando serão escolhidos os nove vencedores.
Nesta segunda edição, contamos com mais participantes e maior abrangência regional.
Foram 122 inscritos, um aumento de 23% em relação a 2011. São Paulo e Rio de Janeiro foram os estados com maior número de projetos cadastrados – 62 e 41, respectivamente. Houve também inscritos do Nordeste e do Sul do país.
Confira a lista dos classificados:
Número Inscrição Produtora Projeto UF
c782db8c A Fantástica Fábrica de Filmes Ltda. Três Pontos: Basquete, Rap e o Jejum SP
5a28fce3 Aurora Filmes Ltda. O Caminho Suave: Dois Pioneiros do Judô Brasileiro SP
3c275136 Bananeira Filmes Ltda Um Homem que voa: Nelson Prudêncio RJ
db89692f Caliban Produções Cinematográficas LTDA O Brasil na Terra do Misha RJ
b7eef60e Cinematográfica Superfilmes Ltda A valsa do pódio SP
95582a28 Coisa de Cinema – Cinema e Vídeo Menina de Ouro BA
fc3caf11 Comunicação Alternativa Ltda. Vanderlei e o fim do Mundo RJ
2c518d10 Confeitaria de Cinema Comunicações Ltda João do Pulo SP
4decd3b6 Dezenove Som e Imagens Produções Ltda. 4º Lugar SP
89586f30 Diler & Associados Ltda. Vanderlei Cordeiro de Lima RJ
2b0029fe El Desierto Filmes LTDA Ippon – A superação olímpica de Rogério Sampaio RJ
b6d04702 Francisco Ramalho Junior Filmes Ltda “55s4′ – A Virada” SP
34231ed2 Gaia SP Produções Cine Vídeo Ltda. Viagem – O Saque que mudou o vôlei SP
5ba33099 GW São Paulo Comunicação S/A O Homem que morava na piscina SP
b3991bfa Janeiro Filmes Ltda. “A volta ao Mundo de Anésio Argenton” RJ
51f68f01 Kinopus Audiovisual Ltda. O Nadador – A História de Tetsuo Okamoto PR
d8263929 Kinossaurus Filmes Ltda. Memórias de um homem descalço RJ
1ae55850 Lúdica Produções Audiovisuais Ltda. Nadando contra a corrente RJ
88d52872 Luz Magica Produções Audiovisuais Ltda. No meio do caminho tinha um obstáculo… RJ
7bf4efa1 Modo Operante Produções Culturais Ltda. Cavaleiros de Ouro RJ
9713d33b Pindorama Filmes Ltda Ouro Feminino RJ
c9a7aef0 Politheama e Filmes Ltda. João do Pulo: o homem que caminhava no ar SP
1ab758c6 Tambellini Filmes e Produções Audiovisuais Ltda. Kanela RJ
c6258bfe TV Zero Cinema Ltda. Viver de vento- Lars Grael RJ
No dia sete de novembro anunciaremos os nove vencedores da segunda edição do projeto. Cada um deles receberá R$ 230 mil para a produção de seus filmes. No total, serão mais de R$ 2 milhões que vão contribuir para formar uma memória audiovisual da história do Brasil nas Olimpíadas.
Os documentários produzidos pelo primeiro edital tiveram grande aceitação do público e da crítica. Os filmes “Pátria”, de Fabio Meira, “De Olaria a Helsinque”, de André Klotzel e “Ouro, Prata, Bronze e…Chumbo!”, de José Torero foram listados recentemente no 1º Festival Internacional de Filmes de Esporte que ocorrerá de 25 a 28 de outubro no Rio de Janeiro.
A imprensa também recebeu bem a proposta de se criar um acervo audiovisual do esporte brasileiro, foram mais de 300 inserções em jornais, revistas, rádios, blogs e programas de televisão. No Brasil inteiro o Memória do Esporte Olímpico foi notícia, com reportagens sobre o projeto, sobre os documentários e seus personagens.
A exibição destes primeiros documentários está sendo feita pela ESPN Brasil e em mostras gratuitas. Os filmes também serão distribuídos pelo projeto Caravana do Esporte, dirigido pela ex-atleta Ana Moser, em escolas públicas de comunidades carentes do Brasil.
  • Em 2011, Aída dos Santos, Maria Lenk, Claudio Kano, José Telles da Conceição, Servílio de Oliveira, Reinald Conrad, Ana Moser, Ana Flávia Chritaro, Ana Margarida (Ida), Ana Paula Rodrigues, Ericléia Bodziak (Filó), Fernanda Venturini, Hélia Rogério de Souza (Fofão), Hilma Aparecida Caldeira, Leila Gomes de Barros, Márcia Regina Cunha (Márcia Fu), Sandra Maria Lima Suruagy Lima, Virna Dantas, Adhemar Ferreira da Silva, Afrânio Costa, Dario Barbosa, Fernando Soledade, Guilherme Paraense e Sebastião Wolf, foram os atletas, e personalidades do mundo esportivo que viraram documentários. As inscrições da segunda edição do Projeto Memória do Esporte Olímpico já estão abertas! http://www.youtube.com/watch?v=e1RKes6_1z8
  • “Raí homenageia Sócrates em evento do Memória do Esporte Olímpico Brasileiro. Em Painel FC da Folha: http://migre.me/9DgTS
  • O Ministério da Cultura (MinC), em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (SEPPIR/PR), lançou nesta quinta-feira, dia 12, no Rio de Janeiro, o Programa Pontos de Leitura da Ancestralidade Africana no Brasil. A cerimônia foi realizada no auditório Machado de Assis, da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), às 19h.
  • Curso Co-Visão e Multiplicação Dramática com Marisa Greeb – Inscrições Abertas pelo tel. 11 3862 3587
  • Nos dias 29/11, 30/11 e 01/12 aconteceu, na Cinemateca Brasileira, o I Encontro Temático Esporte, Cultura e Memória. Participaram dos debates os jornalistas Juca Kfouri, José Trajano, Caco Barcellos e Ricardo Kotscho; os atletas Sócrates, Wlamir Marques e Magic Paula; e os especialistas Karen Worcman, Newton Cannito e Lina Chamie, entre outros. Estiveram presentes também os representantes das 9 produtoras vencedoras do edital “Memória do Esporte Olímpico Brasileiro”. Saiba mais em: www.memoriadoesporte.org.br
  • A ESPN Brasil, parceira do IPR, é uma das grandes vencedoras do 33º Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos. A TV foi premiada em duas categorias: “TV Reportagem”, com a matéria “Guerrilha do Araguaia” partes 1 e 2, do programa Histórias do Esporte, dos jornalistas Marcelo Gomes, Roberto Salim e Cristina Pustiglione. E “TV Documentário”, com o especial “Haiti, o país dos rest avec”, de Lúcio de Castro.
  • Em 21/09, a Câmara dos Deputados aprovou a criação da Comissão da Verdade. A comissão terá prazo de dois anos para realizar suas investigações. Poderá requisitar informações a órgãos do poder público, convocar testemunhas, determinar a realização de perícias. Não será permitida a divulgação de documentos classificados como sigilosos.
  • Segue aberta a Seleção Pública de Projetos Esportivos Educacionais, que integra as ações do Programa Petrobras Esporte & Cidadania, no segmento Educacional.Para mais informações, acesse: http://www.petrobras.com.br/selecaoppec/home/
  • Foi lançada no dia 01/08, no Rio de Janeiro, a Seleção Pública 2011 do Programa Petrobras Esporte & Cidadania, voltada para o segmento de esporte educacional. Este é um dos quatro setores do Programa Petrobras Esporte & Cidadania, do qual também faz parte o Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, e vai contemplar projetos voltados ao desenvolvimento de crianças e adolescentes por meio do esporte, alinhados aos princípios de inclusão, educação integral, cidadania e diversidade. Mais informações em www.petrobras.com.br/ppec
  • O lançamento do projeto “Memórias do Esporte Olímpico” foi realizado em 11 de julho na Cinemateca Brasileira. Saiba mais detalhes em www.memoriadoesporte.org.br
  • A Procuradoria Regional da República da 3ª Região (PR3) sediou, no dia 14 de junho, o ato público de repatriação do acervo do “Brasil: Nunca Mais” – projeto realizado no início dos anos 1980 que buscava, ainda durante o período da ditadura militar, obter informações e evidências de violações aos direitos humanos praticadas por agentes do Estado. No ato,  o Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e o “Center for Research Libraries” (CRL) entregaram os documentos e microfilmes que compõem o “Brasil: Nunca Mais”, mantidos até então no exterior. O projeto Brasil Nunca Mais Digit@l tornará disponível na internet todos os documentos do acervo, fomentando seu acesso para pesquisas pela sociedade civil. O Projeto Brasil Nunca Mais Digit@l é uma iniciativa do Ministério Público Federal, Armazém Memória e Arquivo Público do Estado de São Paulo, com o apoio do Arquivo Nacional, CRL (EUA), CMI (Suíça), Instituto de Políticas Relacionais e a OAB/RJ.

Memória do Esporte Olímpico Brasileiro

 

 

 

Nos dias 16 e 17 de dezembro a Cinemateca Brasileira recebeu o III Encontro Temático Esporte, Cultura e Memória. Estiveram presentes todas as nove produtoras vencedoras do edital 2013 para dois dias cheios de encontros, histórias e aprendizados sobre o meio esportivo e cinematográfico.

No primeiro dia, no período da manhã, as produtoras puderam se apresentar e mostrar um pouco sobre cada um dos projetos previstos de documentários para 2014. A Confeitaria de Cinema Comunicações Ltda e a história do basquete feminino focado na dupla Paula e Hortência, a Filmes Mais Ltda e a luta do atletismo do Brasil em sua primeira final olímpica, a Indiana Produções Cinematográficas e a história do jogador de pólo aquático Szabo, a Kinopus Audiovisual Ltda e a saga do nadador Tetsuo Okamoto, a KM 70 – Cultura, Arte e Comunicação Ltda contando como Bete do Peso foi a primeira halterofilista feminina a representar o Brasil numa Olimpíada, a Luz Mágica Produções Audiovisuais Ltda explicando o pentatlo da atleta Yane, a Memória Viva contando com a veterana Wanda dos Santos como objeto de pesquisa, a RM Produções Artísticas Ltda com uma proposta ousada para contar a Olimpíada de 32 usando imagens de filmes antigos e a Sereia Filmes Ltda e a lutas da atleta Adriana.

 

A apresentação foi feita em uma mesa com a presença de Rodrigo Diullas (Comunicação Petrobras), José Trajano (Jornalista ESPN Brasil), Lisandro Magalhães, Nogueira (Diretor da Cinemateca Brasileira/Representante SAV) e Daniela Greeb (Diretora do Instituto de Políticas Relacionais). Na sequência, começou uma mesa de conversa com os atletas que já foram retratados em outros documentários do projeto: William, Renan e Montanaro (Vôlei Masculino) e Terezinha Guilhermina e Guilherme Santana (Atletismo Paraolímpico).

Após uma pausa para o almoço, as produtoras voltaram para conversar com a pesquisadora sobre atletas olímpicos Kátia Rúbio e depois com o roteirista Newton Cannito. O primeiro dia teve a produtora executiva Elisa Tolomelli falando sobre orçamento e valor da produção.

Na primeira metade do dia foi discutido acervos e direitos autorais com Rafael Terpins, diretor/produtor vencedor de dois editais; Arthur Sens e Rodrigo Mercedes do Centro de Documentação Cinemateca e Silvia Venna, advogada e produtora. Karen Worcman encerrou a primeira metade do dia falando de sua experiência no Museu da Pessoa

A última parte do encontro na tarde do dia 17 foi para acertar os procedimentos com as produtoras, sendo conduzido por Daniela Greeb e Vanessa Labigalini do Instituto de Políticas Relacionais. Logo em seguida, os jornalistas Juca Kfouri e José Trajano debateram o tema “Brasil olímpico ou Brasil saudável?”. O fim do dia houve a assinatura dos contratos, com a presença de Rubens Naves – Santos Jr. – Hesketh – Escritórios Associados de Advocacia e ESPN

Documentários Vencedores do Concurso 2013

O objetivo do projeto é resgatar a Memória do Esporte Olímpico Brasileiro é uma iniciativa inédita que visa selecionar e produzir 9 filmes de 26 minutos por meio de concurso público de âmbito nacional. O projeto buscará a aproximação entre a produção independente e a televisão aberta e fechada, com o intuito de colaborar para o desenvolvimento de um acervo audiovisual, bem como alavancar o esporte por meio de difusão e divulgação das modalidades e sua prática pela população.

Documentários contemplados em 2012 viram realidade em 2013

A segunda edição do projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro contempla mais dez produções de documentários, em 2013. Serão histórias de garra, dedicação e superação que farão parte de um rico acervo audiovisual do esporte olímpico brasileiro. Assim como no ano passado, teremos grandes nomes do cinema brasileiro produzindo nove curtas com 26 minutos cada. Também será produzido um longa-metragem de 52 minutos, dirigido pela cineasta convidada, Laís Bodanzky.

ATLETISMO, BASQUETE, CICLISMO, NATAÇÃO, VÔLEI, JUDÔ, HIPISMO E JOGOS DE MOSCOU

Um dos mais importantes diretores do cinema brasileiro, Cacá Diegues, contará junto de sua filha Flora Diegues, a jornada tortuosa vivida por Rodrigo Pessoa e Baboulet du Rouet nos Jogos de Sydney (2000), em “No Meio do Caminho Tinha um Obstáculo”. Enquanto o conceituado documentarista Silvio Tendler mostra no curta “O Brasil na terra do Misha” o seu olhar sobre os Jogos olímpicos de Moscou (1980), marcado pelo segundo maior boicote das olimpíadas.

Pela primeira vez no Edital teremos a história de uma atleta paraolímpica, Terezinha Guilhermina, ouro nos 100 e 200 metros rasos para cegos (T11), será personagem do documentário “A Valsa do Pódio”, de Daniel Hanai e Bruno Carneiro. A história de superação do judoca Rogério Sampaio – ouro nos Jogos de Barcelona (92) -, será contada pelo cineasta e ex-jucoca, Cavi Borges, no curta “IPPON – A Superação Olímpica de Rogério Sampaio”.

Foi na histórica edição de Roma (1960), que o nadador Manoel dos Santos conquistou a medalha de bronze nos 100 metros livres, Francisco Ramalho Jr e Ricardo Dias, contam como foi no filme “55s’4 – A VIRADA”. No curta “A Volta ao mundo de Anésio Argenton”, de Fernando Acquarone e Marcelo Paiva, vamos conhecer o araraquarense que detém até hoje a melhor marca do ciclismo de pista do Brasil em olimpíadas.

Vamos entrar no clima do basquete embalados pelo som do Rap no documentário de Rafael Terpins, 3 Pontos: o basquete, o rap e o jejum”, com grandes estrelas do esporte e da música. O vôlei nunca mais foi o mesmo depois dos Jogos de Los Angeles (1984), ano em que Montanaro, Willian e Renan popularizaram o “saque viagem”, Giuliano Zanelato conta este marco da modalidade no filme: “Viagem – O saque que mudou o vôlei”.

Detentor de duas medalhas olímpicas e personagem de uma das mais contundentes vistas nos Jogos do México (1968), Nelson Prudêncio é o protagonista do documentário “Um homem que voa: Nelson Prudêncio”, de Maurílio Martins e Adirley Queirós.

Acompanhe todas as novidades de cada filme da segunda edição do Memoria do Esporte Olímpico Brasileiro na lista a baixo e conheça um pouco mais os produtores e suas produções.

 

 

II ENCONTRO TEMÁTICO ESPORTE, CULTURA E MEMÓRIA

Nos dias 26 e 27 de novembro aconteceu, na Cinemateca Brasileira  o II Encontro Temático do projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro. Participaram do evento dois representantes de cada uma das produtoras finalistas do edital. Elas tiveram a oportunidade de debater esporte, cultura e memória com jornalistas, esportistas e especialistas no tema.

Vejam como foi a programação:

DIA 26/11 (segunda-feira)

9h30 as 10h30

ABERTURA: MEMÓRIA DO ESPORTE OLÍMPICO BRASILEIRO RUMO A 2016

DIEGO PILA (Comunicação Petrobras)

JOSÉ TRAJANO (Jornalista ESPN Brasil)

CARLOS MAGALHÃES (Diretor da Cinemateca Brasileira/ Represente SAV)

DANIELA GREEB (Diretora Instituto de Políticas Relacionais)

10h30 – EXIBIÇÃO DO PROMO DOS DOCUMENTÁRIOS ANO I – 15’

11h as 13h

MEMÓRIA VIVA!

A história não só como fato do passado, mas como registro para o futuro.

Convidadas:

Karen Worcman (Museu da Pessoa)

14h30 as 16h

OLHAR DO ATLETA SOBRE A MEMÓRIA OLÍMPICA

Atletas Convidados:

Magic Paula – Basquete

Servílio de Oliveira – Boxe

Aida dos Santos – Atletismo

16h as 18h

CONTRATO E PROCEDIMENTOS

Manual das produtoras: CRT, CPB, Ministério da Justiça, Biblioteca Nacional, caderno de autorizações, acervos, autorização de imagens COI, ECAD, Relatórios de acompanhamento via grupo virtual, e etc)

Equipe IPR e Instituto de Políticas Relacionais  & Rubens Naves – Santos Jr.- Hesketh – Escritórios Associados de Advocacia

DIA 27/11 (terça-feira)

9h30 – RECEPÇÃO

10h as 13h – MEMÓRIA DO ESPORTE OLÍMPICO BRASILEIRO –

Convidados:

Kátia Rúbio (pesquisadora Atletas Olímpicos)

José Trajano (jornalista e comentarista ESPN)

14h00 as 16h00

A CARPINTARIA DO ROTEIRO DE UM DOC

Convidado: Newton Cannito (roteirista)

16h15 as 17h30

BRASIL OLÍMPICO OU BRASIL SAUDÁVEL?

Convidado: Juca Kfouri (jornalista)

17h30

ENCERRAMENTO

 

Selecionados os nove roteiros vencedores:

Foram selecionados os nove roteiros vencedores da 2ª Edição do Projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro. Cada um deles receberá R$ 230 mil para a produção de seus filmes. No total, serão mais de R$ 2 milhões em recursos, que vão contribuir para formar uma memória audiovisual da história do Brasil nas Olimpíadas. O projeto é patrocinado pela Petrobras e tem o apoio da ESPN Brasil, Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e Cinemateca Brasileira.

A última etapa classificatória aconteceu ontem (06/11), na Cinemateca Brasileira. As 24 produtoras classificadas (de 122 inscritas), tiveram 20 minutos para defender seus projetos para uma banca de jurados composta por José Trajano, Newton Cannito, Elisa Tomelli, Heber Moura e Lina Chamie. “Quando você faz essa conversa, tem coisas que te surpreendem favoravelmente e outras que decepcionam um pouco”, afirma José Trajano, jurado e um dos idealizadores do projeto. “Mas, se continuarmos assim, teremos um acervo fantástico até 2016”, conclui Trajano.

José Trajano, Newton Cannito, Elisa Tolomelli, Lina Chamie e Heber Trigueiro

Para Daniela Greeb, presidente do Instituto de Políticas Relacionais (IPR), entidade que está à frente do projeto, a maior conquista desta edição é o aumento das inscrições regionais. “Tivemos um crescimento de 23% nas inscrições e também maior alcance regional, conseguimos distribuir para todo o Brasil trazendo produtoras da Bahia, do Paraná e outros estados”, enfatiza Daniela.

Outro diferencial em relação a 2011 foram as inscrições online, que deram mais tempo de pesquisa aos cineastas. “Acho que este ano eles estão mais trabalhados, os roteiros estão melhores, isto está dando maior qualidade ao Pitching (defesa oral)”, finaliza Daniela.

Além de novas modalidades abordadas, o concurso deste ano trouxe projetos que pautaram atletas paraolímpicos. Um deles venceu o edital e terá como tema a corredora e campeã Olímpica, Terezinha Guilhermina. Serão produzidos curtas sobre os Jogos Olímpicos de Moscou (1980), basquete masculino, atletismo, judô, natação, vôlei masculino, ciclismo e hipismo. O Memória do Esporte Olímpico contará ainda com a produção de um longa-metragem da diretora Laís Bodanzky.

Os documentários da primeira edição do projeto estão sendo exibidos em mostras, escolas públicas e em caravanas itinerantes pelo País, como parte do esforço em unir educação, esporte e cidadania, a partir de ações do programa Esporte Educacional, capitaneado por Ana Moser. As produtoras deverão concluir seus filmes até maio de 2013.

 

Projetos vencedores de 2012:

“Três Pontos: Basquete, Rap e o Jejum”, de Rafael Terpins – A Fantástica Fábrica de Filmes.

Pedro Corradi e Rafael Terpins do “Três Pontos: Basquete, Rap e o Jejum” da A Fantástica Fábrica de Filmes
Rafael Terpins do “Três Pontos: Basquete, Rap e o Jejum” da A Fantástica Fábrica de Filmes

“Um Homem que voa: Nelson Prudêncio”, de Adirley Queirós de Andrade – Bananeira Filmes.

Adirley Queiroz e Murilo Martins do “Um Homem que voa: Nelson Prudêncio” da Bananeira Filmes
Adirley Queiroz, Murilo Martins e Vania Catani do “Um Homem que voa: Nelson Prudêncio” da Bananeira Filmes

“O Brasil na Terra do Misha”, de Silvio Tendler – Caliban Produções Cinematográfica.

Silvio Tendler, Luis Carlos de Alencar e Ana Rosa Tendler do “O Brasil na Terra do Misha” da Caliban Produções Cinematográficas
Silvio Tendler do “O Brasil na Terra do Misha” da Caliban Produções Cinematográficas

“A valsa do pódio”, de Bruno Carneiro, personagem Terezinha Guilhermina (paraolímpico) – Cinematográfica Superfilme.

Bruno Carneiro, Zita Carvalhosa e Daniel Hanai, de “A Valsa do Pódio” da Cinematográfia Superfilmes
Bruno Carneiro, diretor de “A Valsa do Pódio” da Cinematográfia Superfilmes

“Ippon – A superação olímpica de Rogério Sampaio”, de Carlos Vinicius Borges – El Desierto Filmes.

Pedro Rossi, Caví Borges e Jorge Duran do “Ippon – A Superação Olímpica de Rogério Sampaio do El Desierto Filmes
Caví Borges, do “Ippon – A Superação Olímpica de Rogério Sampaio do El Desierto Filmes

“55s4′ – A Virada”, de Ricardo Dias, personagem Manoel dos Santos (natação) – Francisco Ramalho Junior Filmes.

Manoel dos Santos, Ricardo Dias e Francisco Ramalho do”55s4′ – A Virada” de Francisco Ramalho Junior Filmes
Ricardo Dias do”55s4′ – A Virada” de Francisco Ramalho Junior Filmes

“Viagem – O Saque que mudou o vôlei”, de Giuliano Aissa Zanelato, personagens Montanaro, Wiliam e Renan  – Gaia SP Produções Cine Vídeo.

Giuliano Aissa Zanelato do “Viagem – O Saque que Mudou o Vôlei” da Gaia SP Produções Cine Vídeo
Rogerio Zagollo do “Viagem – O Saque que Mudou o Vôlei” da Gaia SP Produções Cine Vídeo

“A volta ao Mundo de Anésio Argenton”, de Fernando Muniz Acquarone – Janeiro Filmes.

Fernando Muniz Acquarone do “A Volta ao Mundo de Anésio Argenton” da Janeiro Filmes
Eduardo Levy e Fernando Muniz Acquarone do “A Volta ao Mundo de Anésio Argenton” da Janeiro Filmes

“No meio do caminho tinha um obstáculo…”, de Carlos Diegues, Baloubet (Hipismo) – Luz Mágica Produções Audiovisuais.

Flora Diegues, “No Meio do Caminho Tinha um Obstáculo…” da Luz Mágica Produções Audiovisuais
Renata Almeida Magalhães, “No Meio do Caminho Tinha um Obstáculo…” da Luz Mágica Produções Audiovisuais

LANÇAMENTO DOS DOCUMENTÁRIOS E DO EDITAL 2012

O encontro entre ex-atletas e cineastas marcou o evento de lançamento do segundo edital do projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, realizado na noite de segunda-feira (25), na Cinemateca Brasileira. Foram apresentados no evento trechos dos documentários vencedores na edição anterior, além do longa metragem “México 1968 – A Última Olimpíada Livre” dirigido por Ugo Giorgetti. Entre os convidados estavam Magic Paula, Ana Moser, Aída dos Santos, Servílio dos Santos e Laís Bodansky, que dirigirá o próximo filme do projeto. O segundo edital do Projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, tem um financiamento de R$230 mil para cada documentário, num total de nove produções que documentem a história de atletas brasileiros que conseguiram conquistas importantes em Olimpíadas. “O objetivo do projeto é construir um acervo audiovisual sobre a memória do esporte olímpico brasileiro. Não se tem nada organizado, então a gente pretende que, até 2016, se tenha pelo menos 70 filmes sobre o tema”, disse Daniela Greeb, diretora do Instituto de Políticas Relacionais, que coordena o projeto.
Como em 2011, no edital deste ano também está previsto a produção de um longa-metragem por um diretor convidado. O cineasta Ugo Giorgetti realizou em 2011 o filme México 1968 – A Última Olimpíada Livre. Para ele, os jogos ocorridos naquele ano são um importante marco para o esporte. “O ano é especial. É o ano que marca o fim de uma era. Essa Olimpíada [de 1968] marca inclusive, em métodos, maneira de ver o esporte”, declarou ao participar da cerimônia de lançamento do edital na Cinemateca Brasileira, na zona sul da capital paulista.
Além de uma mostra específica e da exibição na televisão, a ideia é levar os documentários para as escolas públicas de todo o país.

Confira as fotos: http://memoriadoesporte.org.br/projeto-2012/

Saiba mais: http://www.memoriadoesporte.org.br

RESGATE DA MEMÓRIA OLÍMPICA BRASILEIRA

Da história da primeira medalha do Brasil nos Jogos, em 1920, à vida do nosso único bicampeão olímpico no atletismo, Projeto Memória do Esporte Olímpico chega à sua segunda edição para relembrar os grandes esportistas olímpicos brasileiros.

Foi lançado, em cerimônia realizada na Cinemateca de São Paulo no dia 25/06/2012, a segunda edição do projeto Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, que integra o programa Petrobras Esporte & Cidadania. O projeto é uma iniciativa inédita que propõe a selecionar e produzir documentários sobre a história do esporte olímpico brasileiro, por meio de seleção pública de âmbito nacional.

O projeto, além de contribuir para o desenvolvimento de um acervo audiovisual sobre o esporte, tem como objetivo homenagear grandes nomes do esporte nacional, difundir e estimular a prática esportiva.

A seleção pública é aberta a qualquer produtora de vídeo do Brasil e vai contemplar nove documentários, com R$ 230 mil cada um. No total, serão mais de R$ 2 milhões em recursos, que vão contribuir para formar uma memória audiovisual da história do Brasil nas Olimpíadas. O projeto é patrocinado pela Petrobras e tem o apoio da ESPN Brasil, Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e Cinemateca Brasileira.

A partir de agora, o segundo edital do projeto, que prevê a realização de 9 médias-metragens, ficará aberto a inscrições durante 90 dias.

A cerimônia contou com as presenças de atletas consagrados e apoiadores do projeto, entre eles Magic Paula e Ana Moser. Servílio de Oliveira, Aida dos Santos, familiares de Adhemar Ferreira da Silva, Claudio Kano, Guilherme Paraense e José Telles da Conceição também estiveram presentes para assistir a exibição de trechos dos filmes produzidos.

“É uma honra para a Petrobras fazer parte de um projeto tão valioso do ponto de vista cultural e esportivo, dois aspectos que fazem parte do DNA da Companhia. O Memória do Esporte Olímpico é parte de um programa amplo da Petrobras, o Esporte & Cidadania, que é considerada a maior ação de apoio ao esporte já feita por uma empresa no Brasil”, destacou Diego Pila, gerente de Comunicação Institucional da Regional São Paulo-Sul da Petrobras.

Nesta edição, as inscrições poderão ser feitas on line. O processo de seleção será realizado em duas etapas: após a inscrição, serão escolhidas as propostas consideradas mais pertinentes ao edital, que depois concorrerão entre si. A definição será feita por uma comissão de profissionais de notória especialização. Depois desse processo, as equipes dos nove documentários finalistas participarão de oficinas de captação de áudio, imagem, roteiro, edição e seleção de conteúdo. Para se inscrever, as produtoras deverão estar cadastradas na Ancine.

Segundo Daniela Greeb, presidente do Instituto de Políticas Relacionais (IPR), entidade que está à frente do projeto, “o resgate da história dos esportistas brasileiros que fizeram história nas Olimpíadas é fundamental para que o Brasil passe a ter uma memória. São exemplos de dedicação, superação e sucesso que nosso País não pode esquecer.”

O projeto já tem garantida sua realização, pelo menos, até as Olimpíadas de 2016, que serão realizadas no Rio de Janeiro. Os documentários também serão exibidos em escolas públicas e em caravanas itinerantes pelo País, como parte do esforço em unir educação, esporte e cidadania, a partir de ações do programa Esporte Educacional, capitaneado por Ana Moser. Junto com outro programa, o Esporte de Rendimento, coordenado por Magic Paula e voltado para o desenvolvimento esportivo de atletas com alto potencial, os três projetos fazem parte do programa Petrobras Esporte & Cidadania.“O Brasil não pode mais ser reconhecido como um país sem memória“, enfatiza o jornalista José Trajano, também um dos idealizadores do projeto. “A grande vitória do esporte brasileiro não está nas medalhas, mas também em resgatar a história dos seus heróis olímpicos”, finaliza. Essa necessidade fica ainda mais evidente às vésperas de o Brasil receber os dois principais eventos do esporte mundial, a Copa do Mundo, em 2014, e as Olimpíadas, em 2016.

Saiba mais: http://www.memoriadoesporte.org.br

 

Brasil Nunca Mais Digit@l

…para que não se esqueça, para que nunca mais aconteça.” Dom Paulo Evaristo Arns

O projeto Brasil: Nunca Mais Digital foi desenvolvido pelo Conselho Mundial de Igrejas e pela Arquidiocese de São Paulo nos anos oitenta, sob a coordenação do Rev. Jaime Wright e de Dom Paulo Evaristo Arns. A partir do exame de cerca de 1 milhão de páginas de processos judiciais, publicaram-se relatórios e um livro de igual nome (Editora Vozes) retratando as torturas e outras graves violações a direitos humanos durante a ditadura militar brasileira. Por temor de que o material de pesquisa pudesse ser destruído pelos órgãos da repressão política, microfilmes de toda documentação foram remetidos aos Estados Unidos da América. Com o projeto Brasil Nunca Mais Digital esse acervo retorna ao país e se tornará totalmente acessível através da internet, abrindo novos horizontes para pesquisas e consultas pela sociedade civil. A ele se somam os documentos arquivados pelo Conselho Mundial de Igrejas em sua sede na Suíça, os quais registram os principais passos do desenvolvimento do BNM e sua repercussão internacional. A repatriação dos arquivos do BNM fortalece nossa democracia e contribui para a concretização dos direitos à verdade, à informação e à memória. O Brasil Nunca Mais Digital é uma iniciativa do Armazém Memória, Arquivo Público do Estado de São Paulo e Ministério Público Federal,  com o apoio do  Arquivo Nacional, Center for Research Libraries (EUA), Conselho Mundial de Igrejas (Suíça), Instituto de Políticas Relacionais e OAB/RJ.

Saiba mais: http://bnmdigital.mpf.mp.br

Memória da Ancestralidade Africana

 

SOBRE O PROJETO

A história dos povos e comunidades tradicionais afro-brasileiras,  selecionadas para constituírem os “Pontos de Leitura Temáticos”, no programa da Fundação da Biblioteca Nacional(FBN), cujo registro  em sua maior parte se encontra na memória, na história oral, vivida e repassada  pelas gerações.

Estes Pontos de Leitura Temáticos são em territórios habitados por Povos e Comunidades Tradicionais Afro-brasileiros, Quilombolas e de Terreiros.

Esta ação está voltada para o registro, divulgação e compartilhamento das histórias locais da cultura africana e afro-brasileira nos 10 pontos de Leitura temáticos em diversas regiões do Brasil (Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Goiânia , Amapá,  Piauí, Paraíba, Pará, Minas Gerais,  Paraná e São Paulo).

O interesse é colaborar para a preservação e maior visibilidade desses saberes, patrimônio cultural que subsiste na memória das comunidades, vivido e vivo, nas narrativas que transitam pelas gerações, na maior parte das vezes ignoradas pelos registros históricos.

Pretendemos com este projeto facilitar aos membros das comunidades a utilização deste acervo temático, inclusive com o registro das narrativas a partir dos Moradores e usuários das comunidades de diferentes faixas etárias dos, pois reconhecemos que a tradição oral é uma forma importante de transmissão do saber, que se processa de diversas formas, não somente por meio de livros.

 

Projeto desenvolvido pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas da Fundação Biblioteca Nacional (SNBP/FBN), em conjunto com a Secretaria da Cidadania e  Diversidade Cultural (SCDC/MinC) e a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) e IPR (Instituto de Políticas Relacionais), cujo objetivo é apoiar e estimular iniciativas culturais, já em andamento, voltadas para a promoção, preservação e divulgação da cultura afro-brasileira, através da implantação, inicialmente, de dez Pontos de Leitura Temáticos em territórios habitados por Povos e Comunidades Tradicionais Afro-brasileiros, como quilombos e de comunidade de terreiro, dando início a uma rede de iniciativas denominadas Pontos de Leitura ‘Ancestralidade Africana no Brasil’.

Estes Pontos de Leitura Temáticos se constituem como espaços de democratização ao acesso aos livros, em seus diferentes suportes e ao estímulo às práticas leitoras. O projeto prevê também o registro e produção da memória destas comunidades, com o registro das histórias orais e a produção de material bibliográfico para compor futuros acervos temáticos e propiciar a troca de informação entre as comunidades. Com a constituição dos Pontos de Leitura Ancestralidade Africana no Brasil espera-se contribuir para a construção de políticas públicas voltadas aos interesses reais da população afro-brasileira.

O projeto configura-se em um piloto que no ano de 2012 poderá ser estendido para outras comunidades que tenham as mesmas características: preservem a tradição afro-brasileira, sejam descendentes de quilombolas, e/ou pertencentes a terreiros.